Beleza Vitoriana  

Posted by Moriel in , , , , , , , , , ,


 
Virginia Oldoini (1837–1899)

O que é beleza afinal? É uma questão bem complicada, e de alguma forma suspeito que várias entre as mulheres consideradas bonitas hoje em dia definitivamente não o seriam durante a Renascença ou a Idade Média. Mas enfim, não vamos apontar o dedo ejogar ovos podres.


O padrão de beleza feminina vitoriano pode ser resumido em duas palavras: redondo e suave. Uma mulher bonita tem um rosto redondo, e um pescoço não muito comprido. Seus ombros são suavemente arredondados, não muito largos, seus seios são exuberantes, seus quadris são lagos, contudo a sua cintura é marcada e fina. Ela é alta, mas seus pés e mãos são delicados e pequenos.

 Cora Pearl (1835–1886)

Mais para o final do século, começou a obsessão pela magreza, e pela aparência frágil de modo geral. Afinal, sem o contraste da crinolina, a aparência de vespa era difícil de se atingir. Elisabeth da Áustria, considerada uma das mais belas mulheres do seu tempo, pesava somente 50kg – e tinha 1.72m de altura.

 Zinaida Yusupova (1861-1939)

Tal como nos períodos anteriores, também durante a era vitoriana, a pele alva era algo aristocrático. Significava, basicamente, que a mulher era podre de rica e não precisava trabalhar o dia todo no sol, algo que poderia resultar num extremamente vulgar bronzeado.

 Nataliya Pushkina-Lanskaya (1812-1863)

As mulheres usavam luvas e sombrinhas para se proteger do sol, quando não era possível evitá-lo. Uma pele alva e translúcida era tão desejada que algumas chegavam a pintar linhas azuis bem claras e, que aparentavam as veias transparecendo sob a pele. Mais tarde, quando também a palidez entrou na moda, algumas chegavam a tomar vinagre para atingir o efeito desejado.

Os cabelos eram considerados a glória da mulher. Por isso, eram raramente – ou nunca – cortados, e aquelas com menos cabeleira apelavam para cachos falsos.

Elisabeth of Austria (1837–1898)

Curiosamente, nota-se, em fotografias de época, que todas as nossas antepassadas eram umas barangas e tanto, mesmo se deixarmos de lado o fato de que precisavam ficar presas em suportes especiais para não se mexerem enquanto eram fotografadas. A explicação é simples: enquanto hoje em dia as mulheres recorrem a cosméticos para acentuar o que tiverem de bonito e esconder as imperfeições, as senhoras vitorianas tinham que se virar com a própria cara. A maquiagem não era bem vinda. Era utilizada, é claro, mas de forma muito discreta, com cores suaves e naturais. A maquiagem mais forte era usada somente por atrises e cortesãs.

 Maria Teresa de Bragança (1855-1944)

Mas o fato é que as pessoas falam, descrevem, e depois todos proclamam uma mulher nada a ver com os critérios propostos como a mais bela. Assim, uma pequena galeria de imagens de mulheres do século 19 que eram consideradas bonitas e atraentes.

 Lola Montez (1821-1861)

 
 Alexandra Nikolaevna (1825–1844)

 Catherine Walters (1839–1920)

Maria Feodorovna (1847–1928)

 Lillie Langtry (1853–1929)

 Liane de Pougy (1869–1950)

 Lina Cavalieri (1874–1944)

 Geneviève "Ginette" Lantelme (1887-1911)

This entry was posted at sábado, novembro 12, 2011 and is filed under , , , , , , , , , , . You can follow any responses to this entry through the comments feed .

3 comments

gostei do blog *-* to seguindo!

24 de novembro de 2011 08:19
Anônimo  

você comentou sobre palidez e o vinagre encontrei esse "artigo" sobre a "doença das virgens"... http://www.hcnet.usp.br/ipq/revista/vol29/n4/204.html muito interessante.

6 de janeiro de 2013 09:06

Faltou citar a mais bela de todas, na minha opinião...antendia-se pelo nome de Maude Fealy...

Parabéns pelo blog =)

10 de janeiro de 2013 03:35

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...